sábado, 25 de julho de 2009

Piscina de ondas itinerante

Imagine poder transportar esta brincadeira para qualquer lugar,
seja para a beira da praia, seja para uma feira, onde a sua imaginação chegar.

Basta fechar e ela se transforma num reboque
de caminhão - medidas padrão: 2,5 x 12m

Pois foi o que estes canadenses de um parque de diversões fizeram.
Concluiram que a roda gigante e a montanha russa já estavam meio sem graça.
Daí alugaram por dois meses este brinquedinho e transformaram o seu parquinho
"sem graça" no melhor programa da temporada de verão de Toronto.

Dizem que o parque nunca esteve tão lotado.

Aqui o bichinho montado na base, em San Diego.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Eu quero comer a Bia

Meu amigo Renan, colaborador deste espaço (envia um artigo a cada 6 meses), acaba de enviar uma nova pérola.

"Eu quero comer a Bia

A vida pública da família Sarney começou na década de 50. José Ribamar Sarney, foi deputado federal em 1955 pelo estado do Maranhão. Sucessivamente deputado e senador por esse estado, o povo maranhense ainda teve o dissabor de tê-lo como governante.

O tempo passou e a família ganhou poder. José se elegeu presidente em 1985, após acompanhar a doença e morte de Tancredo Neves. Não bastasse a sucessão de desastres (moratória, planos Verão, Bresser, Cruzado e Cruzado II), ainda nos deixou como sucessor Fernando Collor de Mello. A vida pública não poderia terminar assim... Elegeu-se senador no recém criado Amapá.

Enquanto isso, a família Sarney aumentava sua presença na vida pública com os seis mandatos consecutivos de Zequinha Sarney a deputado federal pelo Maranhão e Roseana Sarney, deputada federal e governadora pelo mesmo estado (que azar!). A filha do Demo protagonizou o escândalo da empresa Lunus Participações, com alguns milhões de reais em dinheiro. E tão escandaloso quanto, foi a desfiliação de Zequinha do PFL e filiação ao Partido Verde.

José Sarney foi presidente do Senado em três oportunidades, sendo que a atual presidência está representando o maior atentado à democracia e à opinião pública (para a qual alguns representantes do povo estão se lixando) na história do Brasil. Um recorde de denuncias, escândalos, nomeações e horas extras. Para piorar, tudo protagonizado por Renan Calheiros, Fernando Collor de Mello e com a defesa de Luis Inácio Lula da Silva. Alguma coisa está errada!

Recentemente, veio à tona o pedido de cargos públicos por telefone. Para a família Sarney, pedir um cargo para um de seus interessados é tão fácil como pedir uma pizza por telefone. Funciona mais ou menos assim:

Bia Sarney: Vô, aqui é a Bia...

José Sarney: Olá minha netinha! Tudo bem?

BS: Tudo... Quero te contar uma coisinha. O Sr. tem tempo?

JS: Claro querida! Hoje é quarta-feira e não tem ninguém aqui em Brasília. Estou no apartamento funcional escrevendo umas memórias... Nelson Rodrigues iria adorar!

BS: Nelson quem?

JS: Esquece minha netinha... O que você ia me contar?

BS: Ontem fui numa balada aqui em São Luis e conheci um cara muito legal! Tô apaixonada!

JS: É mesmo?

BS: Sim. Ficamos conversando horas e contei um pouco da minha vida e da nossa família...

JS: E ele quis ficar contigo mesmo assim?

BS: Claro, né vô? Afinal, não é todo dia que se conhece uma menina tão prendada e bonita como eu...

JS: Lindinha! Por isso todos dizem que você puxou para o vô! Mas o que ele faz?

BS: Então vô... Ele toca numa banda de reggae aqui em São Luis. Seu nome é Paulo da Seda.

JS: Seda?

BS: É o seu nome artístico... Mas ele está meio sem grana. As casas de show aqui em São Luis pagam muito pouco e ainda tem que dividir o cachê com outros 7 membros da banda. O Sr. me ensinou que não se deve dividir nada!

JS: Aprendeu direitinho, minha neta linda! Mas como posso te ajudar?

BS: Será que não tem nenhuma vaga lá no Senado pra ele, não? Qualquer diretoria serve...

JS: Tenho que ver com o Agassiel... Já colocamos muita gente lá: tem o teu irmão, o lavador de carro, o Pedrinho, o Carlos, o Josué...

BS: Ah vô!!!!! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero! Eu quero!

JS: Tá bom! Tá bom! Tá bom! Uma diretoria no Senado está bem?

BS: Não tem nada melhor?

JS: Vamos colocá-lo como diretor inicialmente. Podemos transformá-lo em presidente em alguns anos. Já consigo imaginar: “Seda para Presidente!”.

BS: Será que cola?

JS: O Lula e o Collor colaram!

BS: Êba! O Sr. é o melhor vô, ex-presidente da república, deputado federal, governador, senador e presidente do Congresso Nacional do mundo!

JS: Eu sei disso, mas faltou maior escritor do mundo... Sou da Academia Brasileira de Letras!

BS: Ai vô, me lembrei que tenho que ir para a academia! Beijooo!

JS: Um beijo querida! Ai... Essa criançada de hoje não é fácil!

Assim termina a história... Vou pedir uma pizza, pagar e correr o risco de ter uma caganeira. Eu devia ter comido a Bia!

Renan"

domingo, 5 de julho de 2009

Ondas Artificiais

Que tal um tubo destes ali na esquina? Sempre igual.
Quanto tempo suas pernas aguentam? Lembra do videogame? Agora é real.

Foto: Fred Pompermayer

Semana passada disparei um release para todos os contatos que tenho. Mas esqueci de publica-lo aqui. Cabecinha...

Na verdade eu já falei neste assunto, então trata-se de uma renovação da mesma notícia: sou o representante da Wave Loch no Brasil.

Portanto se você quiser um brinquedo destes, já sabe para quem pedir informações. O meu endereço de email para assuntos relacionados à este assunto, é giovanni.mancuso@waveloch.com.

Mas sugiro que, antes de me enviar um email, você dê uma passadinha no site do fabricante para conhecer os modelos e os detalhes de cada um deles (clica nos nomes para ir até lá):

FlowRider: não tem o tubo, mas o seu sobrinho de 5 anos e o seu avô de 80, podem curtir sem medo, porque é super seguro. Além disso, ao contrário do que pode parecer, se você mesmo quiser extrapolar os limites, este brinquedo é um verdadeiro skatepark. Clica aqui para ver um vídeo de uns australianos arrebentando.

Mobile FlowRider: curtiu o FlowRider e ficou imaginando carrega-lo pra baixo e pra cima, usando-o como uma ferramenta promocional? Imaginou a loucura que seria poder leva-lo às etapas do Super Surf ou instala-lo na beira da praia durante um final de semana de verão? Então esqueça a versão fixa porque há uma versão sobre rodas! Clica aqui para conhecê-la.

FlowBarrel: é a onda da foto acima. Um tubo que você pega em pé e que não termina nunca, só quando suas pernas fraquejarem. Mas esta onda não é vendida separadamente, só em conjunto com uma franquia da Wave House. Clica aqui para conhecer a Wave House e aqui para ver um filme de cair o queixo, do FlowBarrel sendo surfado por alguns tops do Circuito WCT.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

High Scores

Numa semana em que eu enviei um release das minhas ondinhas pros amigos blogueiros, na esperanca de vê-los me ajudarem na lida diária de tentar instalar estes brinquedinhos por aqui, o mínimo que eu posso fazer é retribuir à altura.

Há pelo menos uma semana o Daniel, do Hi-Scores, me enviou a mensagem abaixo e eu, naquela correria que tem sido a minha vida nos últimos meses, nada de publica-la. Segue o recado do dele, ainda em tempo de ser aproveitado:

Hi-Scores//
um novo conceito em entretenimento no mundo surf.

Já imaginou ficar por dentro de todas as novidades do WCT, publicar suas próprias opiniões sobre competições profissionais, palpitar nos seus atletas favoritos e ainda concorrer a prêmios tudo no mesmo lugar?
Pois é! Ta aí o Hi-Scores!

O próprio nome já diz tudo. Queremos o seu melhor palpite sobre os resultados das etapas, sua opinião nas discussões de spots, ondas e competições. Acesse e experimente toda essa combinação única do universo do surf. É fácil navegar, simples de jogar e muito importante interagir e elevar suas chances de premiação.

Através de um blog pessoal, você publica seus textos, a equipe do Hi-Scores analisa a relevância da sua discussão e encaminha (ou não) para a seção central de novidades do site.
Chega de ficar só olhando! No Hi-Scores você dita as regras e palpita na edição de conteúdo.

E não para por aí!
Você continua palpitando no site, indicando seus atletas favoritos para determinada etapa do WCT. Basta determinar a melhor trajetória de uma competição em jogo e quanto mais acertos de atletas obtiver, mais chance de acumular "tampinhas" terá. A cada etapa você concorre a prêmios exclusivos e o quanto antes iniciar sua coleção de tampinhas, mais chances terá de concorrer a um prêmio surpresa no final da temporada de 2009.

Junte-se ao Hi-Scores e às centenas de pessoas que já fazem parte desta nova comunidade. Entenda nossa filsofia, leia nosso manifesto (http://www.hiscores.com.br/site/index.php?pag=manifesto.html) e mostre-nos que você também entende de surf.


Hang Loose SC Pro 2009//
Para a etapa brazuca do WCT você já começa a concorrer a um wetsuit Rip Curl 3,2mm zerado!
Ao soar da primeira bateria em Imbituba/SC, encerraremos os palpites e ficaremos ligados em todos os resultados!
Durante o evento estaremos ao vivo pelo Twitter (http://www.twitter.com/wctaovivo), comentando as baterias, postando resultados e, é claro, torcendo para os nossos brazucas!


Boa sorte!
hicrew//

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Relíquia - Parte II

Outro da série "do tempo em que se usava lápis, papel, tesoura, nanking, etc...".

Interessante também, é que nesta época a plataforma de Tramandaí ainda não tinha os "braços" que formam o "T".

O homem que salvou o surfe profissional

Mano Ziul ou Manoziul? Foto: ESPN

O blogue dos imãos Hobgood é um endereço obrigatório para quem procura diversão, informação, abobrinhas e coisas do gênero do meio surfístico internacional.

Vai lá e dá uma olhada na série de vídeos que eles fizeram durante o WCT de Teahupoo. Comédia total.

Só que agora o Cidiei começou a levar esta estória de blogueiro misturado com reporter a sério. Acaba de inaugurar o trabalho de jornalista na ESPN com uma entrevista bem interessante com o brasileiro à frente da Beach Byte, responsável pelas transmissões via internet e pelo sistema de notas do ASP.

Clica no título para ler a entrevista, em inglês.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

A história por trás da porta


Primeiro eu encontrei esta foto no blogue do Maine. Achei fantástico, pois eu só havia lido sobre a história da foto original, quando se não me engano, aquela turminha do Careca lá no North Shore depois de beber todas no reveillon, resolveu ir surfar com uma porta.

Só que a pequena explicacão do Maine, mais o release que recebi hoje da ASP, simplesmente me obrigaram a ir o site da Sports Illustrated para ler tudo.

Se você é como eu e não se satisfaz só com as fotos, clica aqui para ler todo o artigo (em inglês).

Relíquia

Leiaute do tempo que se usava papel, cola, tesoura e lápis.

Abel Costa, amigo das antigas, mexeu com meus sentimentos hoje. O cara mandou por e-mail a imagem acima, com o leiaute original, criado por mim, da primeira etiqueta usada por aquela que viria a ocupar durante alguns anos, um lugar entre as grandes do surfwear brasileiro.

Na época em que criei esta etiqueta, o Abel estava namorando uma de minhas irmãs e enquanto começava a criar a Brasil Surf, eu estava começando a "brincar" com esta coisa de design gráfico.

Alguns anos mais tarde eu viria a ocupar a cadeira do responsável pelo marketing da Brasil Surf e pude viver o "outro lado" do esporte: o corporativo. Cuidava da equipe de surfe, do evento Brasil Surf Renner (etapa do Circuito Brasileiro de Surf) e, claro, da comunicação da empresa.

Bons tempos...

domingo, 3 de maio de 2009

Faça a sua aposta


A revista Surfer tem o seu Fantasy Surfer e há alguns anos eu brinco de tentar acertar quem vai vencer no WCT. O problema é que o site é em inglês e por este motivo muitos brasileiros acabam ficando de fora da brincadeira.

Há alguns meses li na "terra de Maine" sobre esta alternativa brasileira para o Fantasy. Na verdade trata-se de uma idéia mais bem elaborada e com regras totalmente diferentes daquela encontrada na versão gringa. E um grande facilitador: em português.

Vamos lá, ainda restam 8 chances para você mostrar que entende do assunto.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Bacana


Vencedor do Tropfest NY 2008, "Mankind Is No Island" produzido só com imagens capturadas pelo celular, por Jason Van Genderen.

Vale a visita

Mais um da série, foto, design, texto e surfe. Clica aqui e aproveite.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Como vencer o careca

Owen, faceirinho depois de vencer a sua bateria do Bells contra o Careca. Foto: Fergus Preston

"Jamais olhe ele no olho", disse Parko pro Owen Wright, quando este pediu-lhe algumas dicas de como competir contra o Careca. A história é engraçada, leia o resto aqui.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Outro da série "imperdível"

Pra quem gosta de surfe, bom design, fotografia, viagem, motos, etc.

Clica na imagem pra poder ler de onde os caras tiveram a idéia
que acabou gerando este blogue aqui.

segunda-feira, 9 de março de 2009

domingo, 8 de março de 2009

A vez das mulheres

Lá vão elas mostrar como se faz. Foto: ASP

Guardei esta imagem com a intenção de escrever aqui sobre um fato que tem me impressionado. Só que - você já leu isto antes, aqui - na correria do dia a dia acabei não conseguindo escrever o que pretendia.

Mas hoje, domingo, dia 8 de março, aproveito pra unir o útil ao agradável: homenageio as mulheres no dia internacional delas.

O que eu queria escrever, é que a cada evento feminino do tour, eu fico mais impressionado. Não bastasse aquela onda da Silvana no primeiro round, com uma batida/aerial muito fluida, na linha e sem mão na borda, ganhando a sessão adiante na rápida onda de Snappers, depois assisti a Steph Gilmore rasgar do início ao fim uma onda em D'Bah como se fosse qualquer um dos top 44.

Sou do tempo que assistir o evento feminino era a coisa mais chata que existia. Na real, as meninas sempre eram escaladas para surfar na pior hora do mar (ainda são?) não por discriminação, mas para evitar que boas ondas fossem literalmente desperdiçadas com surfe lento, feio e duro.

Não mais. Se você ainda não passou a acompanhar o surfe feminino do tour, ainda está em tempo. Tem muita bateria feminina dando de dez em algumas masculinas.

Parabéns mulheres!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Achado


Num momento em que eu ando completamente sem tempo para surfar na internet, considero-me sortudo por ter encontrado este blogue hoje.

O autor, Lewis Samuels é o sujeito por trás do "Power Rankings" do Surfline. Mas como ele mesmo comentou, mesmo tendo muita liberdade para escrever e criticar o que bem entender, por motivos óbvios aqui e ali alguns dos seus artigos são editados.

Bem, não no blogue onde ele é o próprio editor. É legal ver várias postagens com as partes que ficaram de fora dos artigos publicados nos veículos em que escreve. Como a entrevista com o Careca ou a outra com o Taj.

Leitura obrigatória e imperdível.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Entenda o coelho

Bugs. Foto: Surfer

Ok, todo mundo já sabe que Wayne Bartholomew não é mais "o cara" da ASP. Mas você sabe quem foi este cara, ou o que ele já fez? Dá uma olhada numa retrospectiva fotográfica dele, clicando aqui e entenda o que há por trás da sua saída, clicando aqui.

Este sujeito era um dos heróis da minha época. Não fosse a superioridade competitiva do Mark Richards e a eficiência do Shaun Tomson e provavelmente este teria sido meu ídolo.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Careca X Bodoso

Se é pra faturar com filmezinho, venda de revista e se é bom pros patrocinadores,
digam ao povo que somos irmãos desde pequenininhos! Foto: TSM

E você realmente acreditou naquela onda de rivalidade? Se deixou convencer pela rixa dos dois? Tsc, tsc, tsc....santa inocência Batman!

Zen e o Surfe

Os amigos George e Torrano, fundadores da ilha Wavetoon, me pediram que convidasse vocês para um evento que acontece nesta quarta-feira, 21 de janeiro.

Trata-se de uma palestra da Monja zen budista Isshin Havens, que vai falar aos surfistas gaúchos e simpatizantes, sobre a profunda ligação do Zen com a arte do surf e inicia-los aos primeiros passos na prática do zazen, a meditação praticada nos mosteiros e centros budistas.

O encontro será no Yázigi Menino Deus, às 19h30min do dia 21 de janeiro de 2009.

A Monja teve alguns contatos com o surf nos anos de 2006 e 2007, e nestas ocasiões percebeu que os surfistas, ou qualquer pessoa que conseguir deslizar numa onda, imediatamente atinge um estado mental chamado de “samadhi” entre os budistas. Esta alteração de consciência é semelhante a que alcançam meditadores com a prática Zen.

O objetivo do encontro é mostrar aos surfistas, que já conhecem este estado de consciência, como eles podem através da prática do zazen e do surf, entrar em “samadhi” não só durante as práticas, mas em todos os momentos das suas vidas.

A entrada é franca e as vagas são limitadas.
Inscrições pelo número (51) 3013.1908

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Fantasy Surfer

Mulher, nova no jogo e também aposta no Heitor...lê aqui.

Aposta

"At the beginning of the year I told you I thought Jihad would do better then Heitor. (Sorry Heitor - I was wrong, and you’ve spanked me twice this year.) You’ve claimed your Tiago call many times over, and Heitor. Both great calls that I now totally agree with. Are there calls that you’ve made at the beginning of the year that you now see where way off? I bet that Jordy would win a contest this year."
CJ Hobgood no blogue dele, entrevistando Lewis Samuels,
o cara que escreve o Power Rankings, do Surfline.


Quando Mineirinho surgiu para o mundo, eu cheguei a apostar nele como um futuro campeão mundial. A maneira como ele tomou de assalto o WQS sem tomar conhecimento de ninguém, me enganou fácil.
Depois, examinando com mais atenção o surfe do guri e comparando-o com os resultados que ele estava obtendo no WCT, me decepcionei. Critiquei bastante a falta de linha, surfe de borda e afirmei que o seu futuro no circuito mundial estava com os dias contados.

Nem 8 e muito menos 80. O guri é, acima de tudo profissional. Quem não tem cão aprende a usar o que tem e corrige o que é possível ser corrigido. Mineirinho jamais vai ter a linha do Joel Parkinson. Tampouco vai cravar a borda como Bede Durbidge. Mas aprendeu a competir no WCT. Está usando a prioridade como ninguém e - observem - normalmente são dele as duas melhores ondas que entram na bateria. Numa competição onde o vencedor ganha no detalhe, ter a melhor tática faz toda a diferença. Ou alguém aí acha que o Careca apenas surfa melhor do que todo mundo?
O problema é justamente quando o detalhe favorece o outro lado. Acredito que o Mineirinho está onde merece: Top 10. Sem dúvida, é um dos dez melhores competidores do mundo. Mas toda a vez que ele competir contra os Top 5 vai sofrer. E na maioria das vezes, vai perder (como tem acontecido quando cruza com o Careca). Sabem por que? Porque mesmo que ele pegue as duas melhores ondas e mantenha a prioridade, o outro cara vai cravar mais a borda e vai desenhar a onda de forma mais suave do que ele. E os juízes do WCT tem o olhar apurado. Eles tem o replay, para ser assistido quantas vezes forem necessárias, antes de soltar a nota. E neste caso, apenas neste, o detalhe vai jogar contra o Mineiro.

Tudo bem, mas o que tem a ver a frase do CJ lá em cima com o Mineiro? Nada. Tem a ver com o Heitor. Na minha humilde opinião, trata-se do único brasileiro hoje, com linha e consistência pra enfrentar aqueles 5 que não vão perder pro Mineirinho.
E não estou sozinho com esta opinião. Tenho lido em diversos lugares - fora do Brasil - que o Heitor tem surfe pra chegar lá. Quem não se deixa impressionar por fogos de artifício ou aéreos 360, sabe que este cearense tem o algo mais. Não que ele não tenha o seu arsenal de confetes e serpentinas, mas isto ele guarda para a hora em que é necessário um último recurso - como naquela bateria (quase) perdida em Imbituba. Mas daí são outros quinhentos: era uma fechadeira de 2 metros. Um floater? Um reentry? Nada! Vai de voadeira mesmo!

Claro que ainda é cedo pra apostar e exigir qualquer coisa do cara. Mas teria sido a maior injustiça se ele não se reclassificasse. Tive o prazer de encontra-lo dentro dágua em Tramandaí, na semana antes do Natal (ele veio passar o final de ano com a família da noiva) e não resisti: remei até ele e lasquei: "fora o Careca tu és o único titular no meu Fantasy Surfer. E digo mais, com a tua linha de surfe, só não serás campeão mundial se não quiseres...". Ele ficou me olhando com cara de quem não entendeu nada e respondeu: "Eu preciso ganhar experiência..."

Tudo bem Heitor, tome o tempo que precisares, mas entende uma coisa: linha de surfe não se aprende. Ou se nasce com ela ou não. E isto tu já tens. Agora trabalha naquilo que te falta.

Minha aposta.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Bolido

Fórmula 1 do surf: a "Deep Six" do Careca e do Al Merrik. Foto: Surfline

Qual um carro de fórmula 1, a prancha do sujeito que vence tudo, tem que ter algo especial. Alguma curva diferente, um concave novo aqui, uma quebra na linha ali e até um outline meio esquisito. Alguma coisa diferente da prancha que está à disposição na loja ela deve ter.

Desde que eu vi o Careca surfando de 5'11" o Pipe Masters em ondas pesadas, estou com minhocas na cabeça. Digo isto porque antes dele começar a moda das pranchas estreitas e com espessura de pizza (lembram?) eu já incomodava o meu shaper com a idéia de que além do peso e altura do surfista, o tamanho do pé também tinha que ser levado em consideração. Eu defendia a idéia de que um sujeito com o pé 36,5 (meu caso) precisava fazer mais força para botar a prancha de borda do que o cara que calça 42. É lógico que jamais fui levado a sério e minhas pranchas seguiam com mais de 18,5' de largura. Minha salvação foi o surgimento daqueles modelos ridículos que só o Careca conseguia surfar. A partir dali minhas pranchas passaram a sair mais estreitas.

Agora, outra vez, o cara está virando o mundo do design de pranchas de cabeça pra baixo. Li no blogue do Stephan que a prancha que ele pretendia usar (no Pipe Masters) éra uma 5'3" e só não usou porque ela quebrou ao meio pouco antes do evento. Mesmo assim, naquelas condições, usar uma 5'11" é ridículo!

Fiquei impressionado. E curioso. Hoje, aproveitando alguns minutos de internet que a minha provedora de internet resolveu me "dar" (o sistema está completamente congestionado e não se consegue conexão aqui na praia), resolvi passear pelos blogues da vida e encontrei uma matéria sobre o design da nova fórmula 1 do surf. Clica aqui e vai no Sal pra seguir as pistas.